Subscrever-se no SeuPrazer.Net – Fetiches Subscrever-se nos SeuPrazer.Net – Fetiches comentarios

Postagens que tem a tag ‘dominação’

Asian Z 42

Asian Z 42

Asian Z 42

Tempo: 1h:30m

Formato: WMV

Tamanho: 462 Megas

Download: https://mega.co.nz/#!zNd2USAQ!ex7ZtwWG7mx8DDSsiQ_xjwDB-uYg2iWNL8H7H8jlqz8

Você pode ter asas, mas vai ficar aos meus pés

Pés bonitos

Um pararelo entre a sua realidade, seu ego e o MEU comando.

A minha Dominação é uma arte.
A arte de saciar, moldar, expressar, desenvolver.
Você vai chegar perto, você vai sentir TUDO.

Você pode ter asas, mas vai ficar aos meus pés.
Suplique e seja bem vindo ao MEU mundo.
O melhor lugar que você poderia estar!

Travestis

Travestis

… Continuar a leitura disso… »

Cabo Grossão

Cabo Grossão

Repasso um conto gay que li e gostei.

Cabo Grossão 1

CABO GROSSÃO 1 – By Grossão

Eu como um coronel da PM e de vez em quando ele me empresta uniforme e carro para eu sair fantasiado de Cabo Grossão caçando garotões.

Certa noite saquei um carinha gostoso, louro, alto e forte, pegando o carro dele no Leblon. Segui o bonitão e mandei ele parar dentro de um estacionamento da Lagoa que naquela hora estava deserto.

… Continuar a leitura disso… »

Gigantas em ação (hehehe)

giganta 0001

giganta 0002

… Continuar a leitura disso… »

Auto Relato do meu amigo: podolatra bh

Bem, vou tentar relatar minha atração por pés femininos.

Desde os meus primeiros registros de memória, perto dos 2 ou 3 anos de idade, a figura do pé feminino sempre se fez presente nos meus pensamentos!

Pés das tias

Lembro-me de ficar sob a mesa de jantar, ou escondido sob o sofá, brincando com os pezinhos das minhas primas e tias. Obviamente que, naquela época, tesão era algo desconhecido e ainda não vivido conscientemente. Mas a atração já era forte demais!
Vivia tentando chegar perto, arranjando pretextos bem infantis, fingindo não estar reparando nos pezinhos delas. Isso perdurou por muito tempo, até os 9 ou 10 anos de idade, quando sorrateiramente, passei a mudar de atitude. Eu já não chegava mais perto e nem tocava, pois sentia vergonha, mas a mente já era dissimulada (rsrsr): eu passei a “roubar emprestado” as meias e os sapatos que elas usavam.

Sapatinho

Eu ficava de olho quando alguma das minhas primas ou tias chegavam em casa. Reparava bem nos sapatos e nas meias. Seguia cada uma delas pra ver onde deixariam os sapatos usados e, assim que elas se retiravam de perto, eu não exitava: dava logo um jeito de tomar posse, esconder e passar horas agarrado, abraçado ao objeto que teve contato com o pezinho… Cheirava sem parar, como forma de provar que o pé estivera ali dentro. Era a ponte que me ligava ao meu objeto de fetiche.

… Continuar a leitura disso… »